fbpx

Recebi o diagnostico de câncer, e agora?

Dores Crônicas- Um sofrimento físico e existencial
2 outubro, 2018
Câncer Infantil: Não é só a criança que adoece!
24 outubro, 2018

Receber o diagnóstico de câncer pode ser assustador! É comum ficar triste, apreensivo, com medo e preocupado. Logo vem o pensamento de que pode não ter solução para esse problema. Mas, é possível superar o diagnóstico e o tratamento com ajuda de
profissionais, familiares, amigos e com qualidade de vida!

Quando se recebe a notícia que esta com câncer, a primeira reação pode ser negar e, por isso, não querer falar no assunto. Pode ter vergonha de contar para as pessoas e dizer que não vai fazer o tratamento. Em alguns casos, surge o sentimento injustiça por estar passando por isso, ficar inconformado e se questionar: por que eu? O que eu fiz de errado para merecer isso?

Numa tentativa de diminuir a angústia a pessoa pode começar a negociar com ela mesma e dizer que ela será uma pessoa melhor, vai melhorar os defeitos e, às vezes, fala para um amigo ou familiar que se ela sair dessa situação vai melhorar seu jeito de ser. É comum sentir tristeza, se isolar, achar que o problema não tem solução e pensar que a vida nunca será mais a mesma.

Um outro sentimento comum quando se recebe o diagnostico de câncer é o medo, medo de não resistir a doença, do tratamento, do abandono da família e dos amigos. Medo de mudanças permanentes no corpo e do companheiro ou companheira não aceitar essas mudanças e abandonar a relação. Por mais que seja difícil é importante manter a calma, e lembrar que caso haja alguma mudança permanente no corpo, é possível conviver com ela!

No começo pode dar um pouco de raiva, mas com o passar do tempo e com a ajuda da 
terapia é possível superar e driblar as mudanças, e até mesmo poderá descobrir outras habilidades que não sabia que tinha antes.

Depois de passar por um período triste no qual coloca-se toda a raiva e angústia para fora pode-se começar a enxergar a situação com a realidade, sem fantasia. Percebe-se que algumas coisas não são tão difíceis como se pensava, e se percebe que coisas que antes não eram possíveis fazer, agora são!

Cada diagnostico é único e cada caso é um caso, não é porque um conhecido passou 
por uma situação quando teve a doença, que todos que tiverem a doença vão passar também. Cada corpo é de um jeito, e cada organismo reage à sua maneira!

A família tem um papel importante no amparo e acolhimento à pessoa nesse momento. Mostrar a ela que não importa o que aconteça, a família não irá abandona-la. Acolher nos momentos mais difíceis e ouvir as angústias é muito essencial.

É importante a família ter acompanhamento psicológico também, pois nesse momento serão trabalhados os medos, angústias e fantasias. Além disso, é importante que ao receber esse diagnóstico, a pessoa não se sinta culpada e caso fique triste, se desespere ou sinta medo, lembrar que isso faz parte. É preciso viver todos esses momentos, uma vez que fazem parte do processo.

É possível viver com qualidade de vida depois do diagnóstico de câncer! Existem muitos recursos internos que aparecem quando acontecem esses momentos difíceis e fazendo terapia, o psicólogo vai contribuir para aprimorar esses recursos, para superar esse momento difícil e vai ajudar o paciente a passar por todas as fases e conviver bem com o diagnóstico. Com o acompanhamento psicológico, o terapeuta estará pensando junto com o paciente como enfrentar todos os momentos do tratamento, buscando assim contribuir para a preparação da fase pós-tratamento. Com certeza, ao ter o apoio profissional nesse momento, a pessoa se tornará diferente, sendo ainda mais forte, obtendo mais
conhecimento, do qual ela levará para sua vida!
 
Monica Souza
Monica Souza
Psicóloga clínica CRP 06/109128, atendimento clínico de adultos pela Psicanálise

3 Comments

  1. Ana Paula Cardoso disse:

    Parabéns Mônica…tudo que vc descreveu é bem do jeitinho como nos sentimos…passei por isso recentemente com minha mãe…e realmente a família e a pessoa que passa por isso ,necessita desse acompanhamento psicológico pois é um momento mto delicado que devemos ser fortes para enfrentar tudo isso!!

  2. Elisabete Peres caldana disse:

    Amei sua colocação , já passei pelo processo e é exatamente isso que vc descreve . Parabéns.

  3. Rosa Maria disse:

    Oie…Monica

    Amei cada palavra….. tocou forte…

    Vá em frente…

    Um abração e beijão
    Rosa Maria Crispim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat